Tânia Soares

AÇÕES DO CONSELHO TUTELAR EM 2018

O conselho tutelar de Apuí, localizado na Avenida 13 de Novembro n°889-Centro realizou no decorrer deste ano vários trabalhos em prol da criança e do adolescente. Dentre eles:

Palestras nas Escolas Gilberto Mestrinho e Padre Faliero com o tema da Campanha 18 de maio “Esquecer é permitir, lembrar é combater”. Finalizando a campanha com um grande bate lata com saída em frente a praça dos três poderes, e concluindo em frente à igreja matriz, com apresentações e falas dos convidados.

Organização: Conselho Tutelar e Infância Adolescência Missionária, juntamente com a Secretaria de Assistência Social.

Este evento teve apoio:

  • Prefeitura municipal
  • SEMED
  • UEA
  • SEMOB
  • SCFV
  • CAPS
  • Ministério Público
  • Polícia Civil
  • Polícia Militar
  • Paroquia São Sebastião
  • Rádio Cidade
  • Projeto Aconchego
  • Projeto Bom Menino
  • Maristela Fainhaimpork
  • Resines Agostinho
  • Bazar Maranata
  • Lange promoções e filmagens
  • Agropecuária Garrote.

 

 

 

 

 

 

Atualmente fazem parte do Conselho Tutelar os conselheiros: Vera Lucia Cardoso, Marcia Afonso, Rosane Leopoldina, Jucimara Rezende e Edson Gomes.

  • No mês de Abril o conselho tutelar foi até a Escola Alto União KM 17 realizar palestras com o tema “Violência na Escola e Bullyng”, com a participação dos professores, alunos e funcionários da escola.
  • No mês de Julho, o Conselho Tutelar realizou na Escola Gilberto Mestrinho, um Bate Papo com os alunos do 3º ao 5º ano, onde as crianças apresentaram teatros, redações sobre bullyng.
  • No mês de Setembro foi realizado uma bate papo com as crianças e adolescentes que frequentam o Centro de Convivência, sobre os perigos e riscos de participarem da festa de rodeio sem acompanhante
  • Realizando acompanhamento familiar, e alunos com evasão escolar, quando a escola se esgota todos os seus recursos.
  • Muitas pessoas desconhecem como funciona realmente o trabalho do Conselho Tutelar de Apuí e essa falta de conhecimento pode implicar em muitos fatores, como a crítica e julgamento precipitados. Por não ser permitido divulgar as ações realizadas, fato que poderia “denegrir” a imagem de muitas famílias, o conselho vem agindo sem alarde, mas tentando ser mais eficaz possível com tantas mazelas que nossa sociedade vem vivendo.
  • Cabe ressaltar que o Conselho acolhe denúncias de abuso contra criança e adolescentes, até a presente data já foi recebido 12 casos de estupro de vulnerável e 06 casos de abuso, lembrando que esses dados são apenas denúncias que chegam a este órgão, pois sabemos que muitas famílias sentem medo em denunciar, já que na maioria dos casos de violência cometida contra criança e adolescente é sempre por alguém próximo ou algum familiar.

 

 

 

 

 

Últimas Publicações